A nossa história

1919

O primeiro passo para o futuro

1923

A primeira afirmação da jovem empresa

1933

Lançamento das massas Milaneza

1935-37

Ampliação do parque moageiro

1945

A segunda geração da família Lage

1950

Nova Moagem de Trigo Paradense

1954

Cerealis, legado de gerações

1955

Primeiras embalagens em celofane

1958

Novos investimentos

1960

Novas linhas de fabrico e embalamento na fábrica de massas

1962

A primeira semolaria portuguesa

1967

Uma visão de futuro

1969

50º Aniversário da Amorim, Lage, Lda.

1971-72

A forte aposta na promoção dos produtos

1978

Bolachas - um novo negócio para Amorim, Lage, Lda.

1980

Projecto Anos 80: Preparar a empresa para o embate da adesão à Comunidade Económica Europeia

1985-86

Antecipar as exigências do mercado

1991

Fusões e aquisições no negócio das farinhas industriais

1992

A Milaneza apoia o desporto

1994

75 Anos de sucesso

1997-98

Novas aquisições e fusões no negócio de farinhas industriais

1998

Formação Amorim, Lage, SGPS, S.A. e A Certificação da Qualidade

1999-2002

O início de um novo ciclo

2004

A nova identidade Cerealis

2006-08

Chegar ao mundo

2009

90 anos de futuro

2010

Nacional reforça o seu posicionamento como marca saudável

2012

A Milaneza aposta numa nova imagem de marca

2013

Inauguração da Moagem em Lisboa

2014

Melhoria contínua das operações, uma realidade em consolidação

2015

Nutrição – promoção de uma alimentação equilibrada e saudável

2016

Relançamento da marca Nacional

O primeiro passo para o futuro

Movidos pelo forte espírito empreendedor, a 8 de Fevereiro de 1919, José Alves de Amorim, Manuel Gonçalves Lage e Aníbal Augusto Soares, fundavam a Amorim, Lage & Soares, Lda. A partir de 1931, a empresa passa a ser detida em partes iguais pelas famílias Amorim e Lage, com a saída de Aníbal Augusto Soares. Demos os primeiros passos, para o que viria a ser um Grupo Industrial de sucesso no setor das indústrias de moagem e massas. José Alves de Amorim e Manuel Gonçalves Lage descobriram então o segredo do negócio. Uma parceria baseada numa comunhão perfeita de valores e ética assente no espírito de iniciativa, focada na inovação, qualidade e na capacidade de antevisão das tendências e necessidades de mercado. Em Águas Santas, na Maia, nascia uma visão empresarial, baseada num espírito dinâmico, orientada por práticas de bem-fazer e sentido vencedor dos fundadores que foi legado para as gerações que se lhes seguiram.

A primeira afirmação da jovem empresa

A primeira afirmação da jovem empresa: a Moagem Paradense duplica a sua capacidade de moenda para 25 toneladas/24 horas.

Lançamento das massas Milaneza

O espírito inovador e arrojado dos nossos fundadores e o sucesso alcançado até então, levou-nos a desenvolver outras atividades industriais, sendo inaugurada a fábrica de massas alimentícias equipada com a mais moderna maquinaria e tecnologia da época. Assim, surgiram no mercado as nossas massas alimentícias Milaneza, que rapidamente se impuseram pela sua qualidade. O respeito pela tradição e qualidade foi sempre uma constante na nossa história, sempre garantida pela permanente capacidade de acompanhamento da evolução dos mercados, num processo em contínua renovação e melhoria tecnológica.

Ampliação do parque moageiro

O tempo passa, a nossa empresa cresce, e o sucesso partilhado pelos sócios, colaboradores, familiares e amigos, aliado à maneira de ser e estar na indústria, motivam os nossos fundadores a ampliar o seu parque moageiro. Assim, adquirem a Moagem do Minho, Lda. e a Moagem da Restauração, Lda., unidades que anos mais tarde foram transferidas para Águas Santas.

A segunda geração da família Lage

Neste ano, morre Manuel Gonçalves Lage, sucedendo-lhe seus filhos António Augusto Gonçalves da Costa Lage e Rodrigo Gonçalves da Costa Lage, este último, já a colaborar há alguns anos, na gestão corrente da sociedade. Numa parceria renovada, José Alves de Amorim e a segunda geração da família Lage, prosseguem à frente dos destinos da empresa, motivados para a exploração de novas oportunidades.

Nova Moagem de Trigo Paradense

O pós-guerra relançou novos projectos que se impunham pelo interregno nos investimentos, provocados pelo desenrolar da 2ª Guerra Mundial. Assim, Amorim, Lage, Lda. retomámos a dinâmica de investimentos, atualizando e ampliando as duas unidades fabris de Águas Santas. Edificámos uma nova moagem e a primeira bateria de silos de trigo e, nesse edifício, instalámos a primeira moagem portuguesa com transporte pneumático de produtos. Foi neste ano que a moagem de 1919 cessou a sua laboração, encerrando-se desta forma, um dos primeiros períodos de Amorim, Lage, Lda. Ainda neste período, foi transferida para Parada - Águas Santas, a Moagem do Minho, Lda. em Guimarães, sendo o seu equipamento, instalado num edifício contíguo à nova moagem. Quanto à fábrica de massas, o fim da 2ª Grande Guerra, também teve enormes consequências. É nesta altura que a fábrica de massas Milaneza recebe as primeiras prensas contínuas para a produção de massas, assim como novos secadores com os mais modernos e eficientes diagramas de secagem.

Cerealis, legado de gerações

Em Março deste ano, José Eduardo Marques de Amorim, filho do sócio fundador José Alves de Amorim e atual Presidente do Conselho de Administração da Cerealis, é nomeado gerente, iniciando assim a colaboração com seu pai na gestão da empresa. O dia 18 de Setembro de 1954 fica porém marcado na história da empresa pelo desaparecimento inesperado do último fundador José Alves de Amorim. A gerência de Amorim, Lage, Lda. passa a ser constituída na sua totalidade por elementos da segunda geração. Rodrigo Gonçalves da Costa Lage e José Eduardo Marques de Amorim que dão continuidade ao trabalho de seus pais.

Primeiras embalagens em celofane

Este é um ano notável para a marca Milaneza com o lançamento das primeiras embalagens em celofane. Foi uma grande inovação numa época em que as massas, quase na sua totalidade, eram vendidas a granel.

Novos investimentos

1958 fica marcado pelo arranque de uma nova unidade industrial junto à fábrica de massas Milaneza. É inaugurada a primeira unidade de fabrico de pão com caraterísticas industriais e o primeiro forno contínuo do país. Foi também o período de lançamento do pão de forma fatiado e embalado, uma inovação nos tempos que se viviam. Igualmente notável o lançamento dos Donuts, a pastelaria industrial que muitos anos mais tarde viria a ser relançada em Portugal.

Novas linhas de fabrico e embalamento na fábrica de massas

A década de 60 fica marcada pela montagem de novas linhas de fabrico de esparguete e massas cortadas, mas também pela instalação de linhas de embalamento semi-automáticas. É uma década de expansão, graças ao forte investimento na fábrica de massas, que contou ainda com a instalação da primeira meadeira automática, em substituição das meadas enroladas de forma manual. Nesta época é decretado pelo governo o fim da comercialização de massas alimentícias a granel, fato de evolutivo apoiado pela nossa empresa, já que veio permitir que as massas Milaneza chegassem ao consumidor final embaladas, dando garantias da sua origem.

A primeira semolaria portuguesa

De forma a consolidar a posição ascendente das massas Milaneza no mercado nacional, decidimos investir na primeira semolaria portuguesa de trigo duro, unidade inaugurada a 28 de Julho de 1962. Esta nova unidade de moagem, especializada na produção de sêmola de trigo duro, veio assegurar o abastecimento regular de matéria-prima de alta qualidade no fabrico de massas alimentícias. Esta iniciativa permitiu-nos ter um elemento diferenciador de qualidade face à concorrência, diferenciação essa que conseguimos manter ao longo dos anos.

Uma visão de futuro

Neste ano, é construída de raiz uma nova moagem de trigo na Adémia, em Coimbra. Em parceria com o Eng.º Augusto Eduardo de Magalhães Paranhos e seus familiares, nascia a Moacir - Moagem de Coimbra, Lda., que iria permitir uma cobertura comercial mais alargada a Sul, no sector das farinhas industriais. Se a Moagem da Granja, Lda., da família Paranhos tinha sido uma referência no sector, a nova unidade, pensada ao mais ínfimo pormenor, ainda hoje continua a ser um exemplo de modernidade e eficiência.

50º Aniversário da Amorim, Lage, Lda.

50 anos de história de uma empresa que se tornou no maior Grupo moageiro português. O aniversário foi comemorado intensamente numa festa convívio que contou com a participação empenhada de sócios, colaboradores e das suas famílias.

A forte aposta na promoção dos produtos

Numa época em que os supermercados se multiplicam e surgem novos conceitos de negócio, apostamos na presença em feiras como forma de apresentar e promover os nossos produtos, complementando desta forma o plano de ação de comunicação da marca.

Bolachas - um novo negócio para Amorim, Lage, Lda.

Face à conjuntura económica vivida na época, decidimos desativar a produção e comercialização de pão. Em sua substituição, é então instalada uma fábrica de bolachas, reaproveitando-se as infra-estruturas e edifício já existentes. Ainda neste período, outro elemento da 2ª geração da família, o Eng.º António Joaquim Marques de Amorim inicia a sua colaboração na nossa empresa, desempenhando o cargo de sócio-gerente até 1981.

Projecto Anos 80: Preparar a empresa para o embate da adesão à Comunidade Económica Europeia

No início dos anos 80, conscientes das transformações profundas que iriam surgir com a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia (CEE), recorremos aos nossos conhecimentos e capacidade técnica, de forma a responder aos novos desafios e oportunidades. Assim, iniciamos uma mega operação de renovação e modernização tecnológica. Todo o parque industrial da Maia foi sujeito a intervenções totais na renovação das Infra-estruturas industriais e na montagem das mais recentes linhas de fabrico de massas alimentícias. O projeto “Anos 80” permitiu-nos resistir ao impacto da abertura de fronteiras durante os dois primeiros anos da adesão. Depois deste período, o mercado estabilizou-se lentamente com reforço da posição das massas Milaneza.

Antecipar as exigências do mercado

Na sequência do plano estratégico e do projeto de modernização “Anos 80”, lançamos uma nova imagem que vigorou até 1993. Este, foi um desenvolvimento que proporcionou embalagens inovadoras com a utilização diferenciadora da cor verde, que se mantém até aos dias de hoje. É também neste período que desenvolvemos novos produtos de qualidade, indo desta forma, ao encontro da evolução das exigências do consumidor.

Fusões e aquisições no negócio das farinhas industriais

Cientes que a presença no setor da moagem só seria possível e viável através de fusões e concentrações, a moagem de trigo mole Paradense cessa a sua laboração em Águas Santas, fusionando-se na Companhia de Moagens Harmonia, S.A., na qual, a Amorim, Lage, Lda. passa a ter uma participação social. Nesta altura, as Moagens Harmonia já tinham integrado por fusão, a Moagem Concordia, Lda. no Freixo.

A Milaneza apoia o desporto

Sendo um alimento saudável e natural, ideal para a dieta dos desportistas, as massas Milaneza intensificam o apoio a algumas modalidades desportivas, não só da sua área de envolvência, mas também modalidades e provas de projeção nacional e internacional. Exemplos disso são a vela, o desporto automóvel e a equipa profissional de ciclismo da Maia-Milaneza, entre outras. Por duas vezes, fomos considerados o “Alimento Oficial” do Comité Olímpico Português nos Jogos Olímpicos, de Atlanta em 1996 e, de Sidney em 2000, campanhas que definitivamente contribuíram para o crescimento da notoriedade da marca em Portugal.

75 Anos de sucesso

Passados 75 anos de sucesso, quando a marca Milaneza atinge a liderança no mercado das massas alimentícias. Liderança proporcionada por uma estratégia delineada em função das especificidades do setor e interpretada com o rigor e empenho de todos os colaboradores. Num novo período, é decidido o alargamento do Conselho de Administração através da entrada de Rui Manuel Amorim Silva e Sousa, elemento da terceira geração da família Amorim, que com José Eduardo Marques de Amorim, Maria Manuela Nogueira Lage, José Eduardo Menezes Falcão e Dionísio Cerqueira Correia iniciam uma nova etapa da vida da empresa.

Novas aquisições e fusões no negócio de farinhas industriais

Neste período, adquirimos a totalidade de capital da Companhia de Moagens Harmonia, S.A. e procedemos ao encerramento da Mariano e Companhia, Lda. em Macedo de Cavaleiros, concentrando toda a nossa produção na Harmonia. Na mesma altura, também adquirimos a totalidade do capital da Moacir.

Formação Amorim, Lage, SGPS, S.A.

Pela dimensão atingida e consequente necessidade de adequar a organização a essa realidade, decidimos reestruturar-nos, criando uma Sociedade Gestora de Participações Sociais com o nome de Amorim, Lage, SGPS, S.A. Toda a atividade comercial e industrial, até então desenvolvida por Amorim, Lage, S.A., passa a ser exercida pela nova sociedade Milaneza - Massas e Bolachas, S.A., pela Companhia de Moagens Harmonia, S.A. e pela Amorim, Lage - Comércio Internacional de Cereais e Derivados, S.A. Esta última, dedicada à compra dos cereais necessários a toda a produção do Grupo e à exportação de todos os seus produtos. Um novo passo vinculado por uma administração forte e consciente, constituída por José Eduardo Marques Amorim, Maria Manuela Nogueira Lage e Rui Manuel de Amorim Silva de Sousa, este eleito administrador delegado, cargo no qual se mantém até hoje.

A Certificação da Qualidade

A Milaneza foi a primeira empresa a obter a certificação de qualidade, segundo a norma ISO 9001 para o fabrico de massas e de farinhas para usos culinários. A companhia de Moagens Harmonia seria certificada nos anos seguintes. Dotado de tecnologia avançada, laboratórios que controlam desde as matérias-primas até ao produto final, condições de higiene e segurança alimentar, o Grupo garantiu desde sempre, produtos seguros e de qualidade.

O início de um novo ciclo

No âmbito de uma Oferta Pública de Venda, adquirimos a Companhia Industrial de Transformação de Cereais e Derivados, S.A., detentora da marca Nacional. Com esta aquisição, ganhamos uma nova dimensão, passando a ser o maior Grupo português no setor Agro-alimentar e o maior Grupo português na área da moagem de cereais e fabrico de massas alimentícias. Este investimento fez duplicar a faturação e permitiu-nos entrar em segmentos de mercado onde ainda não estávamos presentes. Com 160 anos de história, a marca Nacional passa a integrar a estratégia de desenvolvimento do Grupo que assegura assim, a manutenção de uma das marcas mais antigas e emblemáticas do nosso país. Uma nova dimensão que levou ao desenvolvimento de um plano estratégico de investimentos de longo prazo, com a deslocalização e construção de novas unidades industriais, de forma a aumentar a competitividade do Grupo Cerealis. Um plano estratégico que termina agora a primeira fase de execução, e que até à data, representou um investimento de mais de 100 milhões de euros.

Convento do Beato, tradição e cultura

O Convento do Beato, ligado à Nacional, passa a integrar o nosso Grupo. Constituía um património que entendemos valorizar e dinamizar como local privilegiado para a realização de eventos, ao serviço da cidade de Lisboa. Foram estudadas todas as potencialidades do edifício e definido um plano de obras e revisão de todas as infra-estruturas de apoio. O constante investimento em melhorias no edifício potenciam a sua utilização para todo o tipo de eventos, em que a estética, segurança e funcionalidade são os elementos chave de sucesso, como prova a sua já grande notoriedade a nível internacional.

O início de um programa de investimentos

Este período inicia-se com intervenções como a remodelação da moagem de centeio do Freixo e a ampliação da fábrica de massas na Maia, permitindo a instalação de mais uma linha de produção de massas.

Um novo centro de produção de massas

A construção da nova fábrica de massas na Maia (Fábrica 2), uma das grandes realizações previstas do nosso plano estratégico, concebido em 1999, leva ao encerramento da fábrica de Lisboa, num investimento sem precedentes que passou a catalogar o centro de produção da Maia, como um dos mais modernos da Península Ibérica, com um centro logístico e armazém automático com capacidade para 12.500 paletes. A fábrica tem agora duas linhas de produção de 4 toneladas/hora cada, com possibilidade de expansão futura para mais duas linhas de igual capacidade, e uma automatização total de produção, desde a armazenagem da matéria-prima até à expedição do produto final.

Diversificar para crescer

O projeto global que apresentámos, defende que para tornar viável o pólo industrial da Trofa, que até aí apenas se tinha dedicado à produção de Corn Flakes, seria necessário diversificar a sua produção, apostando no desenvolvimento de novos produtos. Após estudos de mercado e estudos de fabricantes de equipamento, foi instalada uma linha de extrusão de cereais de pequeno-almoço para o segmento criança.

O crescimento de uma organização, nova sede social

Em paralelo com todos os investimentos industriais, a integração das várias empresas do Grupo, exigiu a harmonização dos seus sistemas de informação. Assim, é implementado em todas as empresas do Grupo, um novo ERP, Enterprise Resource Planning, o MOVEX, que integra todos os dados e processos do Grupo num único sistema. Uma plataforma de software transversal a toda a organização, desenvolvida para integrar os diversos departamentos da empresa, possibilitando a automatização e armazenamento de toda a informação e procedimentos de trabalho. A recuperação do edifício de 1919, a moagem original onde nasceu a atividade da empresa e se manteve até 1950, e a sua transformação nos escritórios centrais e sede do Grupo Cerealis, revelou-se uma intervenção de elevado valor arquitetónico, que veio valorizar todo o parque industrial do Grupo na Maia, contribuindo para o crescimento de toda uma organização e proporcionar um adequado ambiente de trabalho aos seus colaboradores.

Soluções refrigeradas e renovação da imagem Milaneza

Resultado de uma longa tradição e de uma aposta contínua no desenvolvimento de produtos inovadores e de grande qualidade, a marca Milaneza desenvolveu uma gama de soluções refrigeradas constituída por massas frescas, pizzas e refeições preparadas, assumindo-se como especialista em soluções de refeições, associadas às massas e gastronomia mediterrânea. Em apenas seis meses, a marca passou a ser líder destes segmentos de mercado. Um lançamento bem sucedido, numa altura em que a imagem da marca é renovada, mantendo-se a cor verde como principal elemento distintivo da marca e adoptando-se a assinatura “Milaneza - Tem receita para tudo”.

A nova identidade Cerealis

Impunha-se reorganizar e simplificar a estrutura de participações do Grupo. Consequentemente, reorganizámos a nossa estrutura de participações, reunindo sob a nova designação Cerealis, todas as empresas do anterior Grupo Amorim, Lage. Desta reorganização, resultaram as empresas Cerealis SGPS, S.A. (empresa holding), Cerealis Produtos Alimentares - S.A. (divisão de negócio de todos os produtos destinados ao consumidor final), Cerealis Moagens - S.A. (divisão de negócio de produtos para usos industriais) e Cerealis Internacional – Comércio de Cereais e Derivados, S.A. (divisão responsável pela importação de cereais, matérias-primas para o fabrico de todos os produtos do Grupo e, exportação de produtos acabados) e a Sociedade Imobiliária Paradense (vocacionada para rentabilizar os ativos imobiliários não afetos à indústria). Tendo herdado um património ímpar, Amorim, Lage, S.A. e com uma nova identidade agora como Cerealis, preparámo-nos para assumir novos desafios em novos produtos e novos mercados. A nova designação representa a união, a internacionalização, o dinamismo e a solidez de um dos maiores Grupos Agro-alimentares portugueses.

Cerealis Internacional, S.A. Chegar ao mundo

Presente nos cinco continentes, em lares de milhões de consumidores, a Cerealis Internacional tem registado crescimentos nos mercados onde opera, fruto da qualidade dos produtos que comercializa, da sua competitividade e do conhecimento que foi adquirindo ao longo dos anos. Assegura a compra de cereais e a exportação de produtos das empresas Cerealis – Moagens, S.A. e Cerealis - Produtos Alimentares, S.A. A exportação é e será sempre, uma das nossas maiores apostas de futuro. A especialização nas compras dos cereais necessários à produção de todas as empresas do Grupo tornou-se estratégica, dada a sua importância na estrutura de custos dos nossos produtos. Apoiados em fortes marcas e em parceria com os nossos clientes, fornecedores e colaboradores, pretendemos chegar ao mundo, fazendo valer a qualidade dos nossos produtos e serviços.

Nova intervenção no centro de produção da Trofa

Dando continuidade às remodelações, procedemos à renovação do centro de produção da Trofa, permitindo uma evolução qualitativa e quantitativa através da instalação de equipamentos para a produção de cereais de pequeno-almoço multigrão e um novo torrador para Corn Flakes. Em simultâneo, noutros centros de produção, procedemos a remodelações e instalações de diversos equipamentos, mas também algumas intervenções de melhoria das condições ambientais de ruído industrial.

Novas linhas de embalamento

As novas tendências do mercado e da grande distribuição, vieram reforçar a necessidade de repensar e analisar as linhas de embalamento das nossas massas, no que diz respeito a caixas de cartão. Para além de ser o meio de transporte do produto até às lojas, a embalagem passa a desempenhar um papel importante em toda a cadeia de abastecimento, quer pela imagem que transmite ao consumidor, quer pela sua função expositora no ponto de venda. Perante as variáveis em jogo, decidimos instalar novas linhas de embalamento que aumentaram a flexibilidade da oferta no que diz respeito a tipologia, dimensões e formatos de caixas.

Manter a liderança de mercado

As permanentes exigências do mercado, a conquista de novos mercados estratégicos e a procura contínua da melhoria da qualidade dos nossos produtos, fizeram com que a concentração de produção de sêmola (matéria-prima para a produção de massas) em Águas Santas, fosse vista como um projecto estratégico, fundamental e prioritário. Seguindo uma política de investimento permanente em tecnologia, demos mais um importante passo garantindo e fortalecendo a nossa posição de liderança no mercado das massas alimentícias, iniciando a construção de uma nova semolaria, para substituir a de Lisboa e a de Águas-Santas. Já em laboração, a nova semolaria do Grupo, uma das mais moderna do mundo, conta com a mais avançada tecnologia: um novo sistema de descasque de grão, o mais recente sistema de deteção e eliminação de grãos não conformes, e um novo moinho altamente automatizado, garantindo uma excelente performance num compromisso de qualidade, rendimento e inovação.

Uma identidade corporativa forte Fortalecer e unir o Grupo Cerealis

A coesão, unidade e interação dos nossos colaboradores são fundamentais para que as mudanças, reestruturações e novos modelos, resultem com sucesso e espelhem os valores que defendemos. A figura apresentada identifica esses valores em dois subgrupos: os valores de base, no interior do círculo, e os valores diferenciadores, na parte exterior do círculo. Com o objetivo de contribuir para uma forte identidade corporativa e estimular o desenvolvimento de uma Cultura de Conhecimento em todos os colaboradores, desenvolvemos um conjunto de ações de divulgação dos nossos valores. Para o efeito criámos um Grupo de Comunicação Interna, Cerealis Magazine, ações de formação, ações de Team Building, momentos de confraternização “Jogos sem Fronteiras” e o nosso almoço de aniversário.

90 anos de futuro

posição e determinação em diversas valências, nomeadamente: • Ter um posicionamento e vantagens competitiva diferenciadoras; • Acompanhar os clientes no seu processo de crescimento; • Ter uma base forte e sustentável no mercado interno; • Estar integrado na sua fileira agro-alimentar, da matéria-prima ao consumidor; • Ter um portfolio de produtos adequado às necessidades do consumidor; • Utilizar as mais modernas tecnologias nos processos produtivos; • Estar apoiado em fortes sistemas de informação de apoio à decisão; • Estar suportado por sistemas de qualidade e segurança alimentar consistentes e consolidados. Um Grupo, com uma experiência, uma cultura, um sistema de processos eficientes, um sistema de informação, uma estrutura e uma estratégia...

Novo ciclo de investimentos

Em 2009 iniciámos um novo ciclo de investimentos que permitiu a todos os nossos centros de produção estarem equipados tecnologicamente e preparados para os desafios do mercado. Terminaremos a ampliação do centro de produção da Trofa, com mais duas linhas de fabrico, uma para cereais de criança – produtos extrudidos - e outra para cereais de adulto, complementadas por equipamentos de embalamento. A ampliação do edifício permitirá instalar um armazém automático com cerca de 10.000 paletes. Estão em curso as obras de adaptação de edifício de moagem de Lisboa, onde serão instalados os equipamentos da nova moagem do Grupo, munidos da mais moderna tecnologia. Ainda no centro de produção de Lisboa, no edifício da antiga fábrica de massas, iniciámos as obras de construção do novo embalamento de farinhas para usos culinários.

Um novo modelo organizacional com novas infra-estruturas e sistemas de informação

A adaptação dos modelos organizacionais aos desafios estratégicos tem sido uma preocupação dominante da nossa gestão. A criação de direções de logística foi o mais recente desenvolvimento resultante de um profundo trabalho abrangente de toda a cadeia de Supply Chain Management. Uma maior integração nos processos dos clientes e dos fornecedores serão geradores de uma maior eficiência. Os sistemas de informação têm também sido uma área de investimento prioritária. A recente implementação de uma solução de Business Inteligence, integrada no ERP do grupo potencia os instrumentos de informação e de controlo de gestão cruciais para os processos de decisão. Orgulhamo-nos de implementar as melhores práticas de gestão, reestruturando os processos, a organização, as infra-estruturas e os sistemas de informação, com o objetivo de nos transformarmos numa empresa orientada para o Cliente e com uma Visão abrangente do negócio.

A Qualidade de sempre

continuam a gerir o Grupo, produzindo e comercializando massas, bolachas, cereais de pequeno-almoço, farinhas industriais, farinhas culinárias e refeições preparadas, mantendo a tradição de produzir e comercializar com qualidade. A Qualidade que sempre perseguimos e que, juntamente com outros fatores de excelência, tem garantido a liderança de mercado, prepara-nos para mais 90 anos de sucesso. Com a introdução de alterações das normas de certificação da Qualidade, classificamo-nos novamente como uma das primeiras empresas no país, a adotar o referencial de segurança alimentar ISO 22000:2005, e a ser certificada de acordo com as normas IFS e ISO 9001:2008.

Internacionalização

Complementando o programa de aumento da dinâmica de exportações, a nossa internacionalização é um imperativo estratégico. Após período de estudos e negociações, concretizámos a nossa entrada na empresa Europasta SE, sediada na República Checa, fabricante e líder local de massas alimentícias. Acreditamos que esta tomada de posição na Europa Central irá constituir um forte motor de desenvolvimento e consolidação Assim se criam 90 anos de futuro.

Nacional reforça o seu posicionamento como marca saudável

A marca reforça o seu posicionamento como marca saudável e aumenta a gama de Bolachas e de Cereais de Pequeno-almoço. Lança duas novas linhas de bolachas: bolachas saudáveis +Fibra, +Linha e +Ativa, produzidas a partir de uma rigorosa seleção de cereais, ricas em fibra, e as bolachas Animais da Quinta, nutricionalmente equilibradas destinadas ao target infantil. Bolachas embaladas em práticas saquetas para levar a qualquer lado e consumir em qualquer altura. Nos cereais, complementa as gamas +Linha e Zero com referências de chocolate.

A Milaneza aposta numa nova imagem de marca

Com um novo logótipo e uma assinatura renovada – “Alimenta a Imaginação” – Milaneza reforça a ligação emocional com os seus consumidores, presentes em todo o mundo. As embalagens são totalmente renovadas, tornando-se mais modernas e apelativas. De forma a refletir a modernidade e dimensão da marca, é também lançado um novo site e é apresentado um novo filme publicitário para televisão.

Inauguração da Moagem em Lisboa

No dia 6 de Março foi oficialmente inaugurada a moagem de Lisboa com as presenças do Senhor Presidente da República, Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva, do Senhor Ministro da Economia e do Emprego, Dr. Álvaro Santos Pereira, do Senhor Vice Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Arq. Manuel Salgado. Este evento foi um marco importante para a nossa divulgação como um dos maiores grupos portugueses em atividade industrial e comercial no setor agroindustrial, garantindo visibilidade à dimensão do Grupo, ao seu vigor económico e à sua ambição de crescimento não só no país, mas também a nível de exportação.

Milaneza continua a inovar e oferece gama dedicada ás crianças

Mais uma vez, inovamos no mercado através da Milaneza, agora com 2 massas para crianças: os Mini Laços com vegetais e as Margaridas com vegetais – fonte de vitaminas, fibras e minerais. As crianças gostam porque se divertem, e os pais agradecem.

A Nacional renova a gama de cereais para criança

Com um design apelativo, as novas embalagens de cereais Nacional garantem uma forte presença no linear e permitem uma identificação intuitiva dos produtos que os mais jovens portugueses tanto apreciam.

O final do 1º Semestre de 2014 concluiu- se a participação do Instituto Kaizen no apoio ao desenvolvimento e implementação de metodologias de gestão Lean nas áreas das Operações da Cerealis Produtos Alimentares, iniciada em 2012. Durante este período de 2 anos envolveram-se 19 áreas funcionais e 368 colaboradores, em 478 workshops e 44 subprojectos, coordenados por uma equipa interna de 4 colaboradores (Gabinete C.lean) e externa de consultores. As equipas funcionais em causa ficaram assim habilitadas a trabalhar sistematicamente com base nos 4 pilares Lean: quadros de indicadores de performance e reuniões de equipas naturais, arrumação dos espaços de trabalho com base nas melhores práticas 5S, normalização e estandardização de procedimentos e ainda resolução estruturada de problemas.

Concordia: nova gama de Especialidades

A Cerealis Mogens reforça a sua gama de Especialidades da marca Concordia com o lançamento da Farinha Composta de Trigo para a produção de Baguette Tradicional. Uma farinha composta de comprovada qualidade, especialmente desenvolvida para a obtenção das originais Baguettes Francesas.

Milaneza Natura

Uma alimentação saudável e equilibrada é cada vez mais uma preocupação dos nossos consumidores. Para todos aqueles que procuram equilíbrio numa alimentação mais cuidada mas também, para os que procuram produtos específicos por alguma condição de saúde (intolerância ao glúten, colesterol elevado ou obstipação), a Milaneza apresenta a nova gama de massas Natura. Uma gama natural, saudável, variada, acessível a todos e, acima de tudo, saborosa

Alinhado com uma preocupação crescente com a saúde dos portugueses em geral e dos nossos colaboradores em particular, em 2015 demos início a um programa estruturado nas áreas da nutrição e saúde. Internamente centramo-nos na preocupação com a nutrição e a qualidade de vida dos nossos colaboradores, implementando um programa de formação e de consultas gratuitas de nutrição. Simultaneamente iniciamos uma prática de partilha de informação sobre a temática da nutrição, assim como, foram divulgadas regularmente várias dicas nutricionais para todos os colaboradores. Externamente envolvemo-nos em três áreas distintas:
a. Apoio às marcas e aos produtos desenvolvidos;
b. Suporte à equipa de marketing no relacionamento com a área de Inovação e Desenvolvimento;
c. Apoio a diversas ações nas áreas da responsabilidade social.

Milaneza reforça investimentos nos canais digitais

No universo digital a Milaneza consolidou processos e reforçou o investimento nos canais digitais da marca. Uma das ações mais impactantes foi realizada no âmbito das celebrações do Dia Mundial das Massas. No mês de outubro a marca produziu e divulgou uma emotiva trilogia denominada “A imaginação não tem limites” que contou com mais de 260.000 visualizações.

Melhoria contínua na Cerealis Moagens

No seguimento do alargamento da implementação das metodologias Lean às operações da Cerealis Moagens, iniciou-se em 2015, pelo Gabinete C.Lean, um programa de aplicação de metodologias de melhoria continua nas Moagens, no Silo de Farinhas e no embalamento de farinhas de uso culinário em Lisboa. Este projeto dotou as equipas com a formação e sistematização de trabalho de acordo com as referidas metodologias, com vista a um aumento de performance que se consolidou no ano de 2016.

Um ano muito especial para a Nacional. A marca apresentou-se renovada reafirmando o seu estatuto de marca única na sua multiplicidade de categorias e produtos, na sua sabedoria e portugalidade. Este projeto envolveu vários departamentos da empresa, assim como o fundamental compromisso de nossos parceiros como os Clientes, e fornecedores nas áreas da comunicação, design e dos mais diversos materiais de embalagens.

Cerealis Digital – Projeto Ceed.

A par do projeto de implementação do novo ERP do Grupo, foi concebido um plano de envolvimento organizacional que teve como missão facilitar a realização do Projeto e a concretização do seu objetivo geral, tendo em consideração as motivações e a influência decisiva dos colaboradores Cerealis na sua realização. O primeiro desafio lançado às equipas foi dar uma identidade ao Projeto, cujo resultado foi o logotipo desenvolvido.

“Cerealis Muda a loja”

“Cerealis Muda a loja” – Fotos que estão no R&C 2016 Em 2016 foi desenvolvido um programa interno que procurou reforçar a vivência dos Valores do Grupo e, em simultâneo, a melhoria da presença das nossas marcas no retalho. Este programa envolveu 47 voluntários que implementaram mudanças em 19 lojas da Grande Lisboa, Porto e Braga, precedidas de uma ação em sala que procurou envolver e reforçar o espirito de equipa dos diversos voluntários de áreas multidisciplinares.